Recreio
Corpo Humano / Saúde

Como os nossos ossos quebrados se regeneram?

Após fraturarmos alguma parte do corpo, nosso organismo entra em ação para consertar o estrago. Entenda

Maria Carolina Cristianini Publicado em 28/08/2020, às 13h00 - Atualizado às 16h56

Cena da série de animação Os Simpsons - Divulgação/FOX Channel
Cena da série de animação Os Simpsons - Divulgação/FOX Channel

Quando caímos ou torcemos alguma parte do corpo, a pressão exercida sobre o local pode fazer com que o osso sofra uma fratura. A fratura óssea acontece quando há a perda de continuidade de um osso - ele fica dividido em dois ou mais fragmentos. Os principais sintomas são dor intensa, inchaço e deformidade na área atingida, incapacidade de mexer o membro fraturado e presença de hematomas.

Assim que a fratura acontece, vasos sanguíneos se rompem dentro do osso e nos tecidos ao redor dele. O sangue vaza e forma uma camada gelatinosa, chamada coágulo, que ocupa o espaço entre as partes quebradas, fazendo com que elas fiquem mais estáveis.

Em seguida, o organismo trabalha para que novos vasos sanguíneos se formem. Ao mesmo tempo, dois tipos de células entram em ação: os osteoclastos, para limpar os fragmentos de osso que sobraram - além de eliminar o coágulo - e os osteoblastos, que fabricam material ósseo para unir as duas pontas.

Os osteoblastos se multiplicam e produzem o calo ósseo, tecido menos resistente do que o osso. Em cerca de duas semanas, dependendo da gravidade da lesão, o calo une as duas pontas da fratura. Após seis semanas, a rachadura no osso começa a desaparecer.

Para facilitar a regeneração do osso, é preciso imobilizar o local com gesso. Isso ajuda a evitar que as duas pontas do osso rompido mudem de direção e colem de forma errada.

Ao longo dos meses seguintes, o calo ósseo fica mais resistente e o estrago é totalmente reparado. Mas leva até dez anos para que o calo seja moldado por células do organismo, até ficar menor e com a aparência de um osso normal.