Recreio
Ciência / Avião

Por que precisamos desligar o celular dentro do avião?

Para garantir a segurança do voo, sempre somos pedidos para desligar os aparelhos eletrônicos. Descubra por que isso acontece!

Letícia Yazbek Publicado em 05/03/2021, às 13h00 - Atualizado às 15h17

Imagem ilustrativa de um celular - Pixabay
Imagem ilustrativa de um celular - Pixabay

Quem já viajou de avião sabe: pouco antes da decolagem e aterrissagem, a tripulação pede que os passageiros desliguem aparelhos eletrônicos, como celulares e notebooks. Mas você sabe por que isso acontece?

Esses eletrônicos emitem ondas eletromagnéticas, que operam em faixas de frequência específicas, dependendo da função ou serviço utilizado. Se o celular emitir sinais na mesma faixa que o sistema de navegação da aeronave, pode haver interferência no funcionamento desse sistema. Isso vale principalmente durante as fases de atividade da aeronave, quando acontecem a decolagem e aterrissagem. Assim, o avião poderia ter problemas para pousar, decolar ou se localizar.

Comprovação científica?

Nenhum problema em aeronaves foi comprovadamente causado pelas ondas eletromagnéticas emitidas por aparelhos eletrônicos, e a interferência dessas ondas não foi comprovada pela ciência. No entanto, as companhias aéreas pedem que os passageiros desliguem os celulares como medida preventiva, visando sempre à segurança do voo.

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), responsável pela regulamentação da aviação civil no Brasil, permite que as companhias liberem o uso de aparelhos eletrônicos que estejam no modo avião durante o voo. Quando essa função é ativada, o aparelho corta todas as comunicação - não é possível acessar as redes Wi-Fi, Bluetooth ou redes móveis.

Dentro do avião

As companhias aéreas estão investindo em tecnologias para oferecer conexão Wi-Fi durante a viagem. Essa conexão, projetada especialmente para ser utilizada em aviões, não corre o risco de sofrer interferência. Dessa forma, as companhias conseguem oferecer o serviço aos passageiros e manter o controle da utilização, para que ela não infrinja as normas de segurança.