escola   / Reciclagem

Como funciona uma fábrica de reciclagem de PET?

A reciclagem começa nas cooperativas de catadores de lixo e passa por empresas que reaproveitam o material para produzir diversos objetos

Letícia Yazbek Publicado terça 21 janeiro, 2020

A reciclagem começa nas cooperativas de catadores de lixo e passa por empresas que reaproveitam o material para produzir diversos objetos
- Getty Images

O PET, politereftalato de etileno, é um tipo de plástico muito usado na fabricação de diversos produtos, como garrafas (refrigerantes, água, sucos e óleos), embalagens (maionese, ketchup e produtos de higiene, por exemplo) e alguns tipos de tecidos. O PET pode ser reprocessado, facilitando a reciclagem e o uso contínuo do material.

Quando um produto feito de PET é descartado na natureza, leva cerca até 750 anos para desaparecer. Por isso é tão importante reciclá-lo!

O processo

O material reciclável que foi descartado é coletado, evitando que acabe em um lixo comum. A recuperação acontece por meio de sistemas de coleta, realizados por empresas especializadas. Algumas cidades têm sistemas de coleta seletiva do lixo: os cidadãos são orientados a separarem o lixo orgânico dos materiais recicláveis (papel, vidro, metal e plástico). Nos municípios sem coleta seletiva, a alternativa é pedir que as pessoas separem o lixo e entreguem tudo em pontos de coleta.

Depois da coleta, o lixo é separado por tipo - as embalagens PET não ficam junto com outros tipos de plástico. Elas também são divididas entre si, de acordo com a cor, o conteúdo (refrigerante, água, óleo de cozinha) e a origem (coleta seletiva ou lixões, por exemplo). Depois disso, são prensadas e amarradas para diminuir o volume e facilitar o transporte. Então, são vendidas para as empresas que realizam a reciclagem.

O material precisa ser preparado para ser reutilizado. Primeiro, as embalagens são colocadas em uma esteira, em que ocorre a lavagem. São retirados objetos como pedras e tampas soltas. Depois, as embalagens passam para a esteira de seleção. Lá, é monitorada a presença de outros materiais, como metais e outros tipos de plástico.

Em seguida, as embalagens vão para outra esteira, responsável por moer tudo, transformando o material em flocos. O plástico moído é retirado e vai para tanques, onde é feita a separação dos rótulos e das tampas. O material é moído mais uma vez e transformado em grãos. Por fim, é lavado, secado e colocado em sacolas, pronto para ser enviado à indústria de transformação.

A última etapa é a transformação dos grãos, que são moldados para virarem diversos produtos: na indústria têxtil passam a ser fibras usadas na fabricação de roupas e de carpetes para carros, por exemplo; ainda podem se transformar em cordas, fios de costura e cerdas de vassouras e de escovas; eles também são usados para fabricar novas garrafas de plástico, enchimentos de travesseiros, boxes de banheiro, caixas de ovos, caixas de sapatos e embalagens de diversos produtos; ainda é possível extrair, do PET reciclado, resinas para a produção de tintas.

 

Fonte: Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet) e Masterflake (indústria de plásticos reciclados).

Último acesso: 03 Dec 2021 - 03:29:28 (1095593).