entretenimento   / Viva a História

O mistério por trás da tumba da rainha Nefertiti

Depois de simplesmente desaparecer dos registros egípcios, a sacerdotisa não teve sua múmia e sarcófago apontados

Isabela Barreiros Publicado sábado 3 outubro, 2020

Depois de simplesmente desaparecer dos registros egípcios, a sacerdotisa não teve sua múmia e sarcófago apontados
O busto da antiga Faraó - Wikimedia Commons

O Egito Antigo possui mistérios que não foram e provavelmente nunca serão solucionados. A falta de registros de períodos históricos específicos, nos quais personagens importantes simplesmente aparentam ter desaparecido, fazem com que muitas incógnitas ainda permaneçam na história da civilização antiga.

Entre a causa da morte de Tutancâmon, o reinado de Cleópatra e o destino do corpo de Nefertiti, ainda há muito a ser desvendado. O último caso mostra-se ainda mais interessante quando percebemos que o destino da icônica rainha ainda permanece como desconhecido até mesmo para quem a estuda à fundo.

Rainha como divindade

A sacerdotisa provavelmente foi uma das figuras mais notáveis de todas as dinastias do Egito Antigo. A rainha e seu marido Aquenáton foram responsáveis por uma reforma religiosa que estabelceu uma crença que acreditava em apenas um deus, diferente do que acontecia antes na região, que era politeísta.

A partir disso, os dois passaram a ser considerados divindades para o povo egípcio. A popularidade da rainha, que já era amada pela população, decolou. Segundo a historiadora Deborah Vess, da Universidade de Geórgia, nos Estados Unidos, "Nefertiti contava com grande empatia e carisma entre a população, dando alguma popularidade ao culto de Aton, combatido pelos poderosos sacerdotes egípcios, que preferiam os deuses tradicionais".

Nefertiti, portanto, tornou-se uma própria deusa encarnada. Mesmo que sua personalidade não tivesse tanto alcance com os egípcios, no próprio governo ela era tida como uma pessoa capaz de opinar e mudar as regras do jogo. Imagens das paredes dos templos da realeza passaram a demonstrá-la cada vez maior até , enfim, alcançar o tamaho de Aquenáton, o que indica que seu status também aumentou. 

Portanto, é possível imaginar o impacto que a morte da rainha deve ter causado. No Egito Antigo, o falecimento de uma figura de tamanho impacto faria com que ela fosse mumificada e guardada em um túmulo grandioso, possivelmente em uma pirâmide que demonstrasse seu poder.

++Leia a matéria completa no site Aventuras na História, parceiro da Revista Recreio.

Último acesso: 28 Sep 2021 - 04:44:01 (1101199).