Planetário

Como observar o céu?

Veja algumas dicas

Pode acreditar: é possível ver estrelas, constelações e planetas a olho nu! Além disso, usando alguns equipamentos e seguindo nossas dicas, você pode até se sentir um astrônomo de verdade!

Lugar tranquilo
Para observar estrelas e planetas, o melhor é se afastar da luz das cidades. Combine com seus pais e façam uma visita, durante o dia, a um local que não tenha tantas luzes – confiram as condições de segurança e como vão chegar até lá à noite com alguns equipamentos de observação. Se você não tem equipamentos, pode tentar identificar os astros a olho nu.

Estrelas famosas
Algumas estrelas são mais facilmente identificáveis, como as Três Marias, que formam o cinturão da constelação de Orion. Elas estão alinhadas e têm brilho forte, de mesma intensidade. As Três Marias podem ser vistas com facilidade nas noites de verão do Brasil. A partir delas, dá para encontrar outras estrelas: bem perto, com brilho avermelhado, está Betelguse; do lado fica Rigel; e ainda há a superbrilhante Sirius (ela será mais brilhante perto das Três Marias).

Os principais instrumentos astronômicos:

Luneta ou Telescópio Refrator: é composta por um tubo, além de, em uma das extremidades, haver uma lente convergente. Também chamada de objetiva, essa lente coleta a luz. Na outra ponta fica uma lente ocular para ampliar a imagem. Com a luneta, é possível observar objetos a grandes distâncias. 

Binóculo: é formado por dois tubos interligados. Cada tubo tem uma lente objetiva e uma lente ocular. Ele possibilita um bom aumento do objeto e grande campo de visão. Por ser pequeno e fácil de usar, é ideal para quem quer começar a observar o céu.

Telescópio Refletor: é formado por um tubo com um ou mais espelhos e uma lente ocular. Existem diferentes tipos de telescópios refletores (variam pela configuração dos espelhos). É o equipamento mais usado por astrônomos.

Nossos vizinhos
Também é dá para ver alguns planetas a olho nu. São eles: Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. Diferentemente das estrelas, que permanecem fixas em um mesmo lugar, os planetas se deslocam. Vênus e Mercúrio, por exemplo, estão sempre próximos do Sol e podem ser vistos logo ao anoitecer ou um pouco antes do dia nascer. É possível reconhecer os planetas de acordo com a cor que eles refletem. Marte tem brilho avermelhado. Vênus possui brilho forte e prateado – é o segundo astro mais brilhante do céu. Júpiter e Saturno também são muito brilhantes e se deslocam mais lentamente. Com um telescópio ou um bom binóculo, é possível ver as diferentes fases de Vênus, os satélites de Júpiter e os anéis de Saturno!

Além da Via Láctea
As galáxias de Andrômeda, a Grande Nuvem de Magalhães e a Pequena Nuvem de Magalhães podem ser vistas a olho nu. Elas aparecem como manchas no céu, mas, na verdade, são grupos de estrelas que estão bem distantes da Via Láctea (onde fica a Terra). A Grande Nuvem de Magalhães pode ser vista nas constelações de Dorado e Mensa. Já a Pequena Nuvem de Magalhães fica nas constelações do Tucano e da Hidra. Andrômeda está localizada na constelação de Andrômeda.

Em tempo real
Imagens, mapas e aplicativos podem ajudar na missão de reconhecer estrelas e planetas. Com o app gratuito Sky Map, você pode apontar o celular ou tablet para o céu e ver na tela quais são os objetos celestes daquela localização em tempo real. Quando já estiver fera no assunto, tente reconhecer os objetos sozinho – depois, confira no app para ver se acertou!

Planeje-se!
Para ter uma visão maior do céu e planejar sua noite de observação, é possível usar uma carta celeste: ela é gerada em programas como Stellarium ou em sites (cartascelestes.com, por exemplo). Assim, você pode ver como estará o céu visto de um determinado lugar a qualquer hora, com as posições das constelações, planetas e outras informações.

CONSULTORIA: LEANDRO GUEDES (PÓS-GRADUADO EM ASTROFÍSICA EXTRAGALÁCTICA E FILOSOFIA DA CIÊNCIA NA UNIVERSIDADE DE NOTRE DAME, EUA).

03/08/2017 - 15:00

Assine Recreio e receba todo mês na sua casa! Clique Aqui