Curiosidades

Por que as mãos esfriam rápido?

Você já reparou em como as mãos esfriam depressa quando a temperatura cai? É que, assim como os pés e as orelhas, elas ficam nas extremidades do corpo e perdem calor para o ambiente. Isso acontece porque, para manter tudo em ordem dentro de você quando faz muito frio, os vasos sanguíneos do corpo todo se contraem. Isso faz o fluxo de sangue diminuir e o calor da pele ir embora – fato melhor percebido nas extremidades do corpo. Já no verão, nossas mãos transpiram bastante porque possuem muitas glândulas produtoras de suor. E ainda existem as pessoas que ficam com as mãos molhadas em momentos de nervosismo, quando essas glândulas ficam muito ativas. Em outros mamíferos, nos momentos de perigo, a umidade nas patas faz com que elas deslizem melhor, garantindo fuga mais rápida.

Apesar de não serem muito grandes, cada uma de nossas mãos tem 27 ossos e 37 músculos, que lhes garante muita flexibilidade e permitem movimentos exatos. Para que a gente consiga usá-las o tempo todo, os dedos têm tamanhos, movimentos e funções diferentes. Graças à posição de nosso polegar, por exemplo, conseguimos segurar praticamente qualquer objeto. Junto com o indicador, ele forma uma pinça, perfeita para movimentos delicados. Já para segurar o lápis e escrever precisamos acionar o polegar, o indicador e o médio. E, para agarrar coisas maiores, o anular e o mindinho entram em ação.

A seguir, confira mais curiosidades sobre as mãos!

Habilidades especiais
As mãos foram as ferramentas mais importantes para que os humanos conquistassem o planeta e construíssem uma civilização, diferenciando-se de qualquer outra espécie da Terra. Essa parte do corpo tem muitos terminais nervosos, que respondem às ordens do cérebro e se movimentam com precisão. Foi com a evolução da inteligência e da habilidade das mãos que nossos antepassados puderam criar e usar as ferramentas que mudaram o mundo.

Nada de bronzeado
Mesmo quando passamos muitos dias na praia, a palma das mãos não fica bronzeada. É que essa área do corpo, assim como a sola dos pés, tem poucas células que produzem melanina, o pigmento que dá cor à pele e a protege dos raios solares. Para compensar, a pele dessa região tem mais queratina, um tipo de proteína bem resistente e que deixa a pele um pouco mais grossa e resistente a impactos.  

Toque aqui!
O costume de apertar as mãos para cumprimentar as pessoas é bem antigo. Ele surgiu como sinal de paz. Em uma época de muitas guerras, as pessoas estendiam as mãos umas para as outras para mostrar que não estavam armadas com facas ou espadas. Depois, passamos a apertar as mãos para demonstrar afeto. O primeiro registro desse cumprimento aparece em imagens do antigo Egito. Segundo estudiosos, para os egípcios, o desenho de uma mão estendida representava o verbo “dar” e acreditava-se que os deuses entregavam poder aos faraós ao estender as mãos para ele.

Sensibilidade máxima
A pele que protege nosso corpo está cheia de sensores especiais de tato, que percebem se algo é frio, quente, áspero ou macio, além de nos dar sensações de dor e coceira. As palmas das mãos e, principalmente, as pontas dos dedos são especialistas no assunto porque possuem uma grande quantidade desses sensores. Elas precisam estar bem equipadas porque na maioria das vezes usamos primeiro as mãos para tocar nos objetos e podemos até identificá-los só com as informações percebidas pelos sensores das mãos.

Sua marca
Na ponta dos seus dedos há linhas que formam figuras parecidas com labirintos. São as suas impressões digitais, diferentes das de qualquer outra pessoa. Essas linhas se formam quando o bebê ainda está na barriga da mãe e não mudam durante a vida. Além de serem um tipo de carimbo que deixa nossa marca em tudo o que tocamos, as impressões digitais garantem um efeito antiderrapante. Graças a elas os objetos não escorregam tanto e podemos segurá-los com maior facilidade.

Elas falam!
Pesquisadores acreditam que, antes mesmo de aprender a usar palavras, os humanos se comunicavam por gestos. Até hoje nós usamos o movimentos das mãos, sozinhos ou junto com as palavras, para nos expressar. Há até um alfabeto especial, muito usado por pessoas com deficiência auditiva, que se baseia totalmente nos movimentos das mãos. Além disso, é com elas que escrevemos, desenhamos, pintamos, tocamos instrumentos e fazemos esculturas que mostram ideias e sentimentos. 

Cheia de rugas
Depois de um tempão no banho ou na piscina, nossos dedos ficam bem enrugados. As células da pele do corpo todo absorvem líquido com facilidade e, depois de passar muito tempo na água, aumentam de tamanho. Mas as pontas dos dedos e a sola dos pés têm grande quantidade de células mortas, que funcionam como uma barreira de proteção, e acabam impedindo a expansão das células que estão cheias de líquido. Aí, acontece um inchaço irregular da pele e ela enruga.

CONSULTORIA: CARLOS A. NAVAS (PROFESSOR DO DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA DA USP), DORIS ROSENTHAL (PROFESSORA DO INSTITUTO DE BIOFÍSICA CARLOS CHAGAS FILHO/UFRJ), JEFFERSON BARROS (PROFESSOR DA FACULDADE DE MEDICINA DO ABC) E VIDAL HADDAD JR. (PROFESSOR DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU/UNESP).
 

08/05/2018 - 20:00

Assine Recreio e receba todo mês na sua casa! Clique Aqui