Curiosidades

8 fatos sobre canetas e lápis

Essa é para quem curte papelaria e não vive sem ter uma caneta ou lápis por perto: 8 curiosidades sobre esses dois amigos que fazemos ainda na época da escola.

1) Fim da sujeira
Muito antes da invenção das canetas, povos antigos usaram pincéis, varetas de bambu e penas para escrever. No final do século 19 surgiram nos Estados Unidos as primeiras canetas-tinteiro. Cansado de se sujar com elas, em 1938, na Hungria, um homem chamado Ladislao Birô teve a ideia de colocar a tinta em um tubo plástico e fazer uma ponta especial. Assim, criou a caneta esferográfica. A palavra esferográfica quer dizer “esfera gráfica” e vem dos termos gregos sphaîra (esfera) e graphikós (escrever).

2) Tecnologia na ponta
O sistema que faz a tinta sair da ponta das canetas esferográficas é parecido com o dos desodorantes roll-on: uma pequena esfera gira e puxa um pouco da tinta, que está no tubo de plástico, para o papel. A bolinha que forma a ponta dessas canetas tem 0,5 milímetro e é feita de um metal chamado tungstênio, muito resistente.

3) Traço looongo
Uma caneta esferográfica comum tem tinta suficiente para desenhar uma linha de 3 quilômetros! Isso é o mesmo que cerca de 230 ônibus enfileirados.

4) Solução simples
Já reparou que existe um furinho no meio do tubo de plástico da sua caneta? Ele existe para deixar o ar entrar e evitar que a tinta vaze. Se a caneta fosse toda fechada, conforme a tinta fosse consumida, um vácuo se formaria no lugar onde ela estava. Então, não haveria ar para substituir o espaço que foi deixado pela tinta e segurar o restante lá dentro – a tinta vazaria pela parte de trás da caneta.

5) Ideia de gênio
No século 18 surgiram os primeiros lápis feitos com pedaços de grafite enrolados em cordas ou pele de animais para facilitar o manuseio. Mais tarde, alemães começaram a usar pedaços de madeira para cobrir o grafite. O apetrecho foi evoluindo até ganhar uma borracha na ponta em 1858.

6) Muito eficiente
Um lápis comum é capaz de escrever cerca de 45 mil palavras ou riscar uma linha de 56 quilômetros de comprimento (mais ou menos o mesmo que 800 aviões enfileirados).

7) Quase iguais
A diferença entre os lápis pretos e os coloridos está no que fica dentro deles. No preto, o “recheio” é o grafite (que já tem essa cor) e, nos coloridos, uma massa feita de cera e pigmentos que dão cor.

8) Resistentes
Lápis de cor e caneta não são apagados com borrachas comuns porque a cera e os pigmentos da composição penetram fundo nos poros do papel. Como a borracha só passa pela superfície do papel, não consegue eliminar o que está escrito ou desenhado.
 

12/03/2018 - 19:00

Assine Recreio e receba todo mês na sua casa! Clique Aqui